É habitual dizer-se que durante o verão nada de importante acontece, que entramos num período onde são os fait divers de mercado, muitas vezes fabricados para a época tomam conta do espetro mediático e das conversas dos veraneantes, ou seja, entramos na Silly Season onde tudo pode acontecer, mas que no final do dia que não tem impacto nenhum no dia a dia do mercado e na vida das pessoas.

Pois é, mas a temporada de Silly Season 2021 foi tudo menos silly! O digital viu muitas mudanças e acontecerem e muitos negócios a serem concluídos que irão mudar profundamente a forma como os profissionais de digital trabalham.

Focando-nos nas preocupações de proteção de dados dos utilizadores e fake news, vimos novamente o Facebook a ser envolvido num novo turbilhão de acusações de conhecimento e permissão na criação de falsos perfis com intuito propagandístico de visões e ideologias anti-democráticas, como ainda do seu conhecimento das práticas ilegais de desinformação patrocinadas por alguns países na sua plataforma. Este é um ponto que nos leva a pensar de que forma poderemos continuar a pensar numa plataforma que dia para dia coloca em causa os dados dos seus utilizadores, bem como a sua credibilidade e como pode vir a colocar também em prejuízo as marcas que continuam ainda a apostar nesta rede social.

A guerra das cadeiras do poder de captação de atenção no digital tem vindo a mudar, chegam notícias que os utilizadores no Reino Unido já consomem mais conteúdos no Tik Tok do que no YouTube, sendo este último há muito o segundo maior motor de pesquisa online. Esta é uma tendência que vem no seguimento do que já acontece nos mercados asiáticos e da forte expansão que o Tik Tok tem forçado para que suceda.

Mas nem só de redes sociais se fez a Silly Season. O sub-setor de e-mail marketing e marketing automation viu o Mailchimp receber uma proposta de aquisição por parte da Intuit pelo valor de 12 mil milhões de dólares, reforçando a panóplia de produtos de suporte empresarial desta última. É uma jogada que muda o mercado todo, pois a capacidade de investimento e de desenvolvimento da plataforma Mailchimp aumentou consideravelmente para alcançar um novo patamar, que há muito os seus líderes ansiavam, e de se tornarem numa plataforma de marketing e inbound marketing integrado.

Em Portugal, vemos a famosa “bazuca” a ser falada para tudo e para nada, com indicação de investimentos em setores clássicos e de modelos de negócio falidos, com pompa e circunstância. Vemos que o tema da requalificação de recursos é algo passível de ser usado em futuras eleições, mas para já não é estratégico.

Vemos a comunidade digital portuguesa neste final de época balnear de luto, pela perda de mais uma referência que ao longo dos anos nos habituou com uma forma de estar muito peculiar e única. A perda do José Besteiro, aka Joe Best, JC da cozinha, que durante anos apimentou o Twitter com o seu humor corrosivo, com os seus convites e desafios para verdadeiros grémios gastronómicos. Dele resta-nos a saudade e o apoio incondicional à família.